segunda-feira, 6 de abril de 2009

Dieta Espiritual.


“Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e
tome cada dia a sua cruz, e siga-me." (Lucas 9 : 23)

Segunda-feira, dia de se começar dietas.
Eu, como milhares de pessoas, vivo em guerra com a balança.
Já experimentei a dieta da sopa, dos carboidratos, do abacaxi, da Lua, dos líquidos, o sopão da USP e, por um tempo, freqüentei o “Meta Real”.
Com todas elas obtive o sucesso equivalente à minha motivação inicial. Quando chegava na fase da estabilidade – quando a balança já não se move tão rápido – ou quando não conseguia o objetivo que estabelecia a mim mesma, pronto. Desanimava e desistia. Queria resultados rápidos.
Paciência nunca foi meu forte.
Conclusão: vivo no efeito sanfona.
Não que eu queira ser uma modelo, mas se eu emagrecer será ótimo. Se eu emagrecer tanto quanto os médicos me aconselham, melhor ainda.
Para isso teria que ser, no mínimo, obediente aos mandamentos dos especialistas: fechar a boca e me controlar.
Claro que tenho medo das enfermidades que o sedentarismo e o excesso de peso acarretam, como a diabetes, pressão alta, colesterol alto e o risco de um AVC. Mas no final das contas sempre achamos que isso só acontece com os outros.
O que tem de mal em um doce aqui, outro ali, um cigarrinho, uma bebida, ficar esticado no sofá vendo TV, ir de carro até a esquina?
Se não faço mal a ninguém, só a mim mesma!
E, aparentemente, tudo isso é tão bom.
No meu caso, e de muita gente, como posso chegar ao meu objetivo se não quero abrir mão de algumas coisas?
Isso me fez lembrar da minha vida espiritual.
Quando você decide seguir a Cristo, precisa deixar muitas coisas que te parecem boas, mas, que na verdade, não são.
Por isso, existem diferenças entre aqueles que são chamados para essa caminhada. Espiritualmente, Deus trabalha em cada um de uma maneira.
Jesus cuida de nós individualmente. Somos especiais e únicos.
De uma maneira geral, é comum achar que a maioria dos evangélicos é fanática e radical e que só uma pequena parte ainda é “normal”, principalmente, na visão daqueles que ainda não são espirituais.
A meu ver, assim como nas dietas, cada um conhece a si próprio e sabe como agir para não sair dos seus limites.
No novo testamento encontramos nas cartas de Paulo a seguinte passagem:
“Quem és tu, que julgas o servo alheio? Para seu próprio Senhor ele está em pé ou cai; mas estará firme; porque poderoso é Deus para o firmar. Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em seu próprio ânimo.” (Romanos 14.4-5)

Uma coisa eu sei, as chances dos que se esforçam receberem a medalha no final da corrida é maior do que o ensejo daqueles que vacilam.
Se olharmos para as dificuldades e as lutas, piorou. Temos de ter um objetivo e caminhar para ele, às vezes, com pouca fé, mas com persistência.
Graças a Deus, sempre que preciso encontro um estímulo. No Recanto das Letras, por exemplo, encontrei a missionária e escritora Ana Maria Ribas, nos blogues leio vários textos e testemunhos e na Bíblia encontro meu cardápio espiritual.
Quanto ao físico, paro o texto aqui, agora vou fazer caminhada.

Até amanhã!


Texto: Etelvina de Oliveira





3 comentários:

Diário Espiritual da Vilminha disse...

Oi menina, difícil isto , quando o regime é necessário por conta das possíveis doenças que seja então excutado com muita perseverança discernimento e sabedoria do contrário se for só para o embelezamento exterior e para a luxuria que o mesmo seja desaconselhado. Beijo e uma ótima semana no amor de Deus.

Uma aprendiz disse...

Beijos, Vilminha.

Obrigada pela visita, volte sempre.

beijos

LUZIMAR disse...

"Jesus cuida de nós individualmente. Somos especiais e únicos."

acredite é assim mesmo e com muita fé se consegue tudo, mesmo fazer a dieta e prossegui-la.

beijos