terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Adorador




A cantora Eyshila nasceu num lar cristão, por isso aquela frase que diz: "talento vem de berço", se aplica perfeitamente em sua vida. Com as influências do pai evangelista e da mãe cantora, Eyshila uniu a palavra de Deus à música e abraçou o ministério de louvor. Hoje, figura como uma das mais importantes cantoras gospel, com três CD's solos gravados pela MK e outros com o grupo Voices, onde exercita os vários dons que Deus lhe deu. Além de cantar (no grupo faz contralto), prepara os arranjos e também ensaia o Voices. Em seus dez anos de ministério ela lançou, pela MK, cinco CDs. O primeiro, de 1997, foi Tira-me do Vale; Em 1999, chegou o álbum Mais Doce que o Mel; dois anos depois, a cantora gravou Deus Proverá. Na Casa de Deus, lançado em 2003, rendeu-lhe seu primeiro Disco de Ouro, pelas mais de 100 mil cópias vendidas. Seu mais recente lançamento é Terremoto, indicado ao Grammy Latino 2005, na categoria Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa. Também foi neste ano que Eyshila gravou seu primeiro DVD ao vivo.

Eyshila começou a cantar bem pequenininha, nos cultos domésticos que seus pais realizavam. Depois ingressou em corais infantis e passou a se apresentar em igrejas. Aos nove anos já estudava piano, mas teve de abandonar. "Não tinha condições de comprar um piano para treinar em casa, então resolvi estudar violão", conta. Na sua inicialização musical, Eyshila teve duas pessoas de grande influência: o irmão Rael e a irmã Berta. Os dois eram regentes do coral formado por mais de 100 crianças, do qual a cantora participou como solista e organista.

A cada passo Deus só fazia confirmar sua vontade para a vida de Eyshila. Tanto que aos 15 anos, ainda adolescente, foi convidada a fazer parte do grupo Altos Louvores, onde ficou por sete anos. "Fiz parte de quase todas as gerações do Altos Louvores, onde tive o privilégio de cantar com Sérgio Lopes, Diógenes Marques, Léa Mendonça, Marquinhos Gomes, Jeferson Monteiro e muito outros. Fico feliz por ter feito parte da história do grupo e por tê-lo como parte da minha vida", conta. Daí para a carreira solo foi um pulinho... "Eu nuca tive pretensão alguma de gravar. Para ser sincera, sempre fui muito tímida e tremia só de pensar em cantar para muita gente. Essa barreira já venci durante os anos que passei nos Altos Louvores. Sei que quando estamos no centro da vontade de Deus as coisas fluem", explica.

A cantora Eyshila - que é soprano e tem uma ótima extensão vocal - segue uma tendência pop/romântica, apesar de ser membro de uma igreja pentecostal (Assembléia de Deus da Penha/RJ). Tanto que a primeira canção sua a se destacar foi "Tira-me do vale", que tem veia romântica e letra reflexiva. Mas o que move essa jovem intérprete não é a variedade de ritmos que ela poderia (e pode) perfeitamente entoar, mas sim a direção de Deus e seu imenso desejo de louvá-lo. "Posso dizer que isso me traz uma realização plena. Sempre dei preferência a canções de adoração, mas sou eclética, partindo para estilos mais dançantes como soul e charme, além de baladas lindíssimas, é claro", explica.

Os CDs seguintes vieram com a mesma tendência, acompanhada de uma crescente maturidade da cantora, que também passou a gravar composições suas. Na Casa de Deus inovou com faixas ao vivo gravadas na igreja em que Eyshila congrega com sua família e a consagrou não só como intérprete, mas sobretudo como uma grande compositora. Dois anos depois, Terremoto Ao Vivo, com produção de Emerson Pinheiro e Rogerio Vieira, rompeu as fronteiras brasileiras com letras bíblicas, um estilo de adoração pop e ritmos modernos. Pela primeira vez, ela gravou uma música com seus filhos e viveu a experiência de ministrar a sua igreja uma palavra poderosa durante a gravação deste trabalho.

Também em 2006, Eyshila lançou o CD e DVD "Eyshila - 10 anos", gravado ao vivo na Rio Sampa. Com produção musical do competente Rogério Vieira (que vem acompanhando a cantora desde Na Casa de Deus) e direção artística de Marina de Oliveira, o DVD ficou excepcional.

Eyshila nunca esteve tão segura no palco como naquele dia. A cantora ainda contou com um ótimo front vocal, formado por Willian Nascimento, Fael Magalhães, Josy Bonfim, Joelma Bonfim, Jairo Bonfim e Janeh Magalhães.

No repertório prevalecem músicas dos dois mais recentes CDs de Eyshila, Terremoto e Na Casa de Deus, com espaço para sucessos dos CDs Deus Proverá e Tira-me do Vale, que ganharam arranjos mais modernos.

O projeto ainda conta com a participação especial do conceituado saxofonista Josué Lopes, na música Vou Glorificar; da cantora Fernanda Brum, que divide os vocais com a amiga na versão acústica de Vem Encher-me; do compositor Klenio, no trecho de rap inserido em O Senhor É Bom; e de Willian Nascimento, em Muito Amado.

Além do bonito show, o DVD conta com extras que trazem clipes, depoimentos, making of e uma série de apetrechos que tanto agradam o consumidor. O show também foi disponibilizado em CD do mesmo nome.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

A Cura




Mesmo antes de te conhecer, eu já te buscava.
Meu coração sentia tua falta.
Andei por vários caminhos a tua procura.
Não sabia como eras, mas queria te ouvir.
Sentia tua presença, teu amor.

Então ouvi falar de ti e minha alma passou a te querer.
A querer estar entre os que te conheciam. Ser como eles.
A questionar sobre tua vida e teu amor.
Mas não bastava.
Então fui ler sobre você. Sobre teus passos.
Sobre esse tão falado amor.

E foi ai que passastes a fazer parte de mim.
E deixei de fazer parte do mundo.
E me reconheci sendo amada por ti.
E um amor profundo tomou conta do meu ser.

Não havia mais tristeza, nem dor, nem choro.
Que não fossem consolados.
Não havia culpa nem castigo.
Só amor.

Mas como eu nunca tinha sido amada, não te entendi.
Pensei que te conhecia. Que sabia tudo sobre ti.
E me perdi. Deixei de esperar por suas promessas.
E quis te ajudar. Como se isso fosse possível.

Fiquei exigente. Tal qual criança mimada.
Busquei nos caminhos, em outras casas até fastiar-me.
Os julgamentos surgiram. Assim como as comparações.
E o inevitável aconteceu: o primeiro amor esfriou.

Não que não o amasse, pois esse amor não morre.
Principalmente o seu por mim. E sei que tu sabes e
conheces o meu coração bem mais do que eu própria.
E é isso que alguns não entendem.Nem eu, as vezes.

Somos um. Como células indivisíveis.
Suas palavras correm em mim como água.
Como passado, presente e futuro.
E fico assim parada no caminho, sem ti.
Não tenho direção.

Meu coração e minha alma anseiam por ti.
E sei que estas por perto.
Mesmo que eu não quisesse.
Sei que teus braços estão sempre abertos.
A espera de um pequeno sinal de arrependimento.
Por isso, te peço...te imploro: não te afastes de mim, Senhor.

Amém!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

sábado, 5 de novembro de 2011

LEVA-ME AOS SEDENTOS




Aline Barros tem sido, durante anos, uma importante referência na música gospel. Dotada de talento e carisma natos, que na verdade são a prova da unção de Deus em sua vida, e de uma produção que prima pela excelência, Aline tem conseguido que seu trabalho ministerial alcance resultados inéditos no segmento gospel no Brasil até o momento. Seu ministério como levita tem sido caracterizada pelo pioneirismo na mídia secular. Aline Barros foi convidada a participar, de importantes programas de televisão (Xuxa, Raul Gil, Eliana, Carla Perez, Super Pop, Hebe Camargo, Gilberto Barros, entre outros), além de entrevistas em conceituados jornais, importantes revistas e também convidada para os eventos Criança Esperança e Show da Virada, da Rede Globo. Seu ministério tem se estendido por toda América Central e do Norte, com premiações e homenagens.
Aline é carioca, tem 34 anos, é formada em Biologia Marinha pela UFRJ, é casada com o atleta de Cristo e empresário, Pr. Gilmar Santos, e mamãe do pequeno Nicolas, de 8 anos de idade, primeiro filho do casal. Todos estão aguardando a chegada de sua primeira menina, a princesa Maria Catherine. Seu pai, Pr. Ronaldo Barros é músico de sua banda, pastor e empresário. É ele quem está à frente da AB Records, gravadora que investe em novos talentos da música gospel. Sua mãe, Pra. Sandra Barros e seu irmão, Rafael Barros (fotógrafo profissional), também estão sempre ao lado de Aline e fazem parte da diretoria da AB Records.

texto: site www.alinebarros.com.br
video: www.youtube.com.br

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Bebida = porta aberta para a violência.

O assunto não é novo. A Biblia faz várias referencias sobre isso, dentre elas, Provérbios 23:29-30:

“23 Para quem são os ais? Para quem os pesares? 29 Quem é que grita de dor? Para quem são as tristezas? Quem é que vive brigando e se queixando? Quem é que tem os olhos vermelhos e ferimentos que podiam ter sido evitados?


30 É aquele que bebe demais e anda procurando bebidas misturadas. "

Apesar de antigo, ultimamente, este assunto tem sido mostrado exaustivamente na midia. Brigas, agressões, acidentes de carros, jovens em situações de risco, e violências contra as mulheres, causados belo consumo de bebidas e outras drogas.

Segundo um estudo feito pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), feito com 7mil famílias em 108 cidades do Brasil, comprovou que o álcool funciona como “combustível” da violência doméstica. Outra pesquisa realizada pela mesma faculdade (Unifesp) feita junto às escolas particulares do Estado constatou que a maioria dos jovens entrevistados começou a beber antes dos 13 anos, grande parte com o consentimento dos pais ou responsável. E nem mesmo o contigente policial nas ruas consegue frear o ímpeto de brasileiros que insistem em guiar sob o efeito do álcool.

O governo tem feito a parte dele. Em agosto de 2007, o Congresso Nacional decretou a Lei 11.340, conhecida como Lei Maria da Penha, aumentando o rigor das punições das agressões contra a mulher quando ocorridas no ambito doméstico ou familiar. Em meados de 2008 entrou em vigor a Lei 11.705, a chamada Lei Seca, que até parece que foi criada agora tamanho o descaso. E no mês passado a Assembléia Legislativa de São Paulo aprovou o Projeto de Lei 698/2011, que proibe, no Estado, a venda e a permissão de consumo de bebida alcoólica aos menores de 18 anos de idade.

Mas as mudanças dependem de você. De cada um de nós. Diga não às bebidas. Recuse andar de carro com quem bebe. Não ofereça bebidas aos menores (para ninguém). Não incentive o consumo de bebidas.


Ainda em Provérbios 31-39, Deus alerta para as consequências da bebida:

"31 Não fique olhando para o vinho/bebida que brilha no copo, com a sua cor vermelha, e desce suavemente.
32 Pois no fim ele morde como uma cobra venenosa. 33 Você verá coisas esquisitas e falará tolices.
34 Você se sentirá como se estivesse no meio do mar, enjoado, balançando no alto do mastro de um navio. 35Então você dirá:
“Alguém deve ter batido em mim; acho que levei uma surra, mas não lembro. Por que não consigo levantar? Preciso de mais um gole.”

NÃO SE ENGANE - BEBIDA MATA.

MATA A VIDA E A ALMA.

por: Etelvina de Oliveira

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Tudo o que eu sei de Deus.

por: Ana Maria Ribas
publicado no site:www.anamariaribas.com.br


Tudo o que sei de Deus aprendi sofrendo. Tudo o que sei de Deus passou pelo teste da cruz. Eu sei que existem pessoas que sabem de Deus olhando para o céu, para a natureza, para os pardais, para os lírios dos campos. Eu sei que existem pessoas que sabem de Deus poetizando, salmodiando, e cantando os melhores momentos da vitória de Israel sobre os filisteus. É um jeito de saber de Deus. É melhor do que nada saber. Mas não é o melhor jeito de conhecer a Deus.

Tudo o que sei de Deus aprendi sofrendo, e sofrendo, o conheci um pouco melhor. Mas, confesso a vocês que fico perplexa com tal fato: Que maravilha que alguns possam saber de Deus sem experimentar o sofrimento! Que maravilha saber de Deus indo aos cultos dominicais, decorando o catecismo, atendendo aos irmãos na porta da igreja, recebendo honras, galgando os degraus da hierarquia eclesiástica, aceitando títulos, e usufruindo do cristianismo com a ênfase de quem só provou o lado doce da vida cristã.

Que maravilha saber de Deus pelos ciclos evolutivos da natureza e pela contemplação das estrelas. Pelas histórias bíblicas que relatam o martírio dos cristãos. Pelas histórias contemporâneas que divulgam o sofrimento dos outros. Que maravilha pegar carona na galeria dos heróis da fé, e fazer disso um meio de vida, sem provar o cálice da amargura. Sem vinagre e sem fel. Só com vinho. De preferência bem doce.
Alguns cristãos são assim: nascem, crescem, vivem e morrem, deitados eternamente em berços esplêndidos. Esses nunca passaram pelo duro leito da manjedoura. Esses podem dizer: “Graças a Deus, nunca experimentei a cruz de Cristo! Deus me livrou disso e Deus me livrou daquilo, e o conhecimento da cruz, para mim, é meramente uma idéia abstrata.” Esses só conhecem o Deus dos livramentos.

Outros, porém, conhecem a cruz de perto, são cerceados por sua atuação, são limitados pelo que não convém aos interesses de Deus em detrimento dos seus próprios, e recebem no corpo as marcas de Cristo. Esses são os discípulos de Cristo.

Eu faço parte desses “outros, porém.” Eu faço parte do time sobre o qual Jesus profetizou: “ e eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo.” João 12:32. A poderosa atração da cruz exerce sobre as nossas vidas um magnetismo capaz de nos manter suspensos em relação às benesses do mundo. Lá de cima, da posição de crucificados com Cristo, assistimos à caravana dos cristãos sem cruz, desfilando a modernidade do seu evangelho de tele-cultos, exibindo a aura dos vencedores, nessa categoria especial de neo-cristãos que pregam um cristianismo sem participação nos sofrimentos.

Esses exibem um status especial que não consta da nossa Bíblia cristã. Esses discorrem com extrema gravidade sobre o Cristo e a natureza do seu ministério neo-testamentário, mas não foram atraídos para a cruz. Mas há um detalhe: Jesus disse que quando ele fosse levantado da terra, atrairia “todos” a ele mesmo. Todos os cristãos. Jesus não mencionou que haveria uma categoria de cristãos sem cruz. Isso é novo, isso é moderno, isso é revolucionário, e isso é totalmente anti-bíblico. Isso faz parte das idéias fantasiosas que se vendem acerca do Evangelho, segundo as quais todo aquele que crer e confessar a Jesus como Senhor, terá todos os problemas resolvidos. Haverá paz nos seus termos. Tudo lhe irá bem. Se a empresa está falida, irá prosperar. Se o carro está velho, Deus dará um carro novo. Ninguém fala que se a empresa estiver próspera poderá falir, e ainda assim a graça e a misericórdia de Deus não serão anuladas, porque elas transcendem o âmbito das coisas materiais. Ninguém diz que mesmo que Deus não lhe conceda dinheiro para comprar um carro novo, ainda assim, a sua fidelidade permanece segura e inabalável por toda a eternidade, por causa da obra redentora de Jesus, pela qual tudo o que ele conquistou é direito nosso. Ninguém conta que a paz prometida não é ausência de guerras, não é meramente um estado circunstancial, mas a confiança na pessoa do Senhor, pelo qual todas as bênçãos celestiais nos foram asseguradas.

Esse evangelho é um evangelho feito sob medida para o mundo. Não é a boa nova do céu, mas a loteria da terra. Que maravilha um evangelho que permite ao pastor usufruir de casa com heliporto em Campos do Jordão, de aviões particulares que o levam nas asas do vento, de casa de verão e casa de inverno, de apartamento em Nova York, de rendas vitalícias para o resto da vida, de anel eclesiástico no dedo, de lugar cativo na ponta de uma mesa, no melhor estilo empresário bem sucedido do ano! O que isso tem a ver com a pessoa de Jesus Cristo? O que um homem desses pode ter em comum com aquele que proferiu estas palavras: “ A raposa tem covis e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça” ( Mateus 8:20)
Eu não sei. Eu só sei que Davi disse assim no Salmo 60:3 “Fizeste ver ao teu povo duras coisas.” Coisas duras não são moles. Manjedoura não é mansão. Jumento não é avião. Fariseu não é cristão. Deserto não é Campos do Jordão. Sangue não é vinho tinto. Lobo não é ovelha. Mercenário não é pastor. Cruz não é cartão de crédito. E o discípulo não pode ser maior do que o seu Mestre.

domingo, 2 de outubro de 2011

Michel W Smith



Michael Whitaker Smith (nasceu no dia 7 de Outubro de 1957, na cidade de Kenova, no estado de West Virginia, EUA) é cantor, compositor, guitarrista e tecladista de Música Cristã Contemporânea. Ele é filho de pais evangélicos, da Igreja Batista: Paul e Barbara Smith. Seu pai, trabalhava em uma refinaria de petróleo e sua mãe era fornecedora e secretária da Igreja.

Michael W. Smith cresceu em lar evangélico e sempre foi muito próximo de seus pais e amigos. Apesar de ser um menino ativo na Igreja, seu grande sonho era ser um jogador de Baseball (seu esporte preferido). A música, entretanto, sempre esteve presente em sua vida.

Aos 5 anos, ele compôs sua 1ª canção e já tocava piano. Aos 10 anos se converteu ao cristianismo e, após sua conversão, seu sonho passou a ser outro: se tornar um pianista profissional. Michael tornou-se ativo na congregação que seus pais freqüentavam, onde tocava piano no período de louvor aos domingos à noite. Começou a ouvir os artistas de Jesus Movement (Movimento de Jesus) no início dos anos 70, e gostava do que ouvia.

Seus amigos e sua família sempre foram muito importantes, para que Michael se mantivesse centrado e sem perder suas referências. A partir do momento em que se separou de seus amigos de colegial, Michael começou a se associar com pessoas que lhe ofereciam todas as coisas que ele tentava evitar até então. Quando se mudou para Nashville em 1978, ingressou na Marshall University, em West Virginia, mas cursou apenas um semestre, trocando os planos acadêmicos pelo desejo de ouvir suas músicas serem gravadas por grandes nomes da Música Cristã Contemporânea. Começou a tocar em algumas bandas locais… Mas por muito tempo, ele perseguiu seu sonho sem chegar a lugar algum. “Por não estar mais sob a proteção de minha família e dos amigos de minha cidadezinha, comecei a responder à nova liberdade com hábitos que cada vez mais me escravizavam (…) Dormia tarde e não conseguia acordar antes do período da tarde. Estava experimentando drogas e tentando impressionar as pessoas, mostrando como eu era esperto. Ao invés de compreender minhas habilidades musicais como um precioso Dom de Deus…”

Como conseqüência, quase morreu numa festa na casa de outro músico, após consumir uma droga extremamente forte. Seu desespero foi tanto naquela ocasião que ele orava e dizia: “Senhor, não me deixe morrer”. Mas isso não foi o suficiente para traze-lo de volta. O fundo do poço veio em 1979 (aos 22 anos), quando sozinho em sua casa, entrou em pânico. Seus pensamentos corriam alucinadamente e ele foi tomado por uma Taquicardia. Seu corpo entrou em choque durante horas. Foi então, no meio daquela pane física, que Michael W. Smith sentiu Deus se aproximar. “Ele não me condenou, nem me reprimiu. E eu sabia que minha vida estava totalmente fora de controle. Mas Deus veio tirar de mim as cargas que estavam me destruindo e me libertar para que eu começasse novamente”. Esta foi a grande virada de sua vida. A Bíblia voltou a ter grande importância na vida de Smith (praticamente todas as suas músicas, nasceram de momentos em que ele estava lendo e refletindo sobre as promessas de Deus, contidas na Bíblia). Passando a tormenta, ele iniciou seu caminho de volta. Em Nashville (no Tennessee), começou a tocar teclado na banda Higher Ground. Isso lhe abriu uma boa porta, já que ele assinou o seu 1° contrato como compositor com a empresa Paragon/ Benson Publishing Company.

”Eu pensava que tinha morrido e ido para o céu. Estava ganhando 200 dólares por semana para fazer algo que amava. Achava que minha vida tinha alcançado seu ápice e Deus não tinha mais nada para fazer por mim” relata Michael. Compôr músicas significou muito para ele. Afinal, agora ele ganhava dinheiro fazendo algo que amava e ele não precisaria voltar a servir às mesas, ser empacotador ou trabalhar para a Coca-Cola.

A vida sentimental não estava ruim, mas também não acompanhava o progresso da carreira profissional. Razão pela qual Michael decidiu que deveria encontrar uma namorada. Mas ele só pensou assim, até o momento em que conheceu Deborah Kay Davis. O episódio é relatado no seu livro “It’s Time To Be Bold” e chama atenção pela forma curiosa de como os dois se conheceram. De seu escritório ele a viu passar por um dos corredores do local em que estava. Imediatamente ele ligou para a mãe (em West Virginia) e disse ter encontrado a mulher com quem iria se casar. A mãe perguntou o nome dela, ao que ele respondeu: “Não sei, mãe. Ainda não fomos apresentados. Mas assim que eu souber, ligo de novo”. Convencido de que ela era a mulher da sua vida, saiu pelo prédio perguntando pela moça, até que parou na porta do toalete feminino e ficou esperando por ela. Quando Deborah saiu, Michael se apresentou: 3 semanas e meia depois, estavam noivos e em 4 meses casados (casaram-se no dia 5 de Setembro de 1981). Michael e Deborah tiveram 5 filhos: Ryan, Whitney, Tyler, Emily e Anna (e todos tocam piano).


fonte: www.google.com.br
http://www.lastfm.com.br/music/Michael+W.+Smith/+wiki

sábado, 1 de outubro de 2011

Como falar com Deus

"Quanto mais nos aproximamos de Deus mais
ele nos aconchega em seus braços."


Certa vez quando Jesus terminava sua oração um de seus discípulos
lhe disse: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos.
E ele lhes disse: Quando orardes, dizei:

Pai,
santificado seja o teu nome; venha o teu reino;
Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano;
E perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a qualquer que nos deve;
E não nos conduzas em tentação, mas livra-nos do mal.

Lucas 11.1-4


Párabola do amigo importuno

E Jesus disse-lhes também: Qual de vós terá um amigo, e, se for procurá-lo à meia-noite, e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães porque recebi visitas e estou sem nada para oferecer.
Se ele, respondendo de dentro, disser:
Não me importunes; já está a porta fechada, e os meus filhos estão comigo na cama: não posso levantar-me para tos dar;
Digo-vos que, ainda que se não levante a dar-lhes, por ser seu amigo, levantar-se-á, todavia, por causa da sua importunação, e lhe dará tudo o que pediu.
E eu vos digo a vós: PEDI E DAR-SE-VOS-Á: BUSCAI, E ACHAREIS: BATEI, E ABRIR-SE-VOS-Á;
PORQUE QUALQUER QUE PEDE RECEBE; E QUEM BUSCA ACHA; E A QUEM BATE ABRIR-SE-LHE-Á.

E qual o pai entre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará pedra? Ou também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente?
Ou também, se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião?

Pois se vós (Eu e você), sendo maus (falhos), sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial (DEUS) o Espírito Santo àqueles que lhe pedirem?

Lucas 11.5-13


ENTÃO:
Não se escandalize
com os que gritam
nem com os que oram em silêncio

MAS OREM
PEÇAM
BUSQUEM
BATAM

Pois Jesus nos garante
que nosso PAI ouvirá
e concederá
o desejo do seu
coração.


Amém?

Hallelujah





sábado, 3 de setembro de 2011

Não Temas




Gritos, rumores de guerra
Uma angústia sem fim
O que acontece com a terra?
A natureza caminha ao fim
O homem perde a razão
Ganância, violência, prostituição
O mal vence o bem, justiça não tem
Muitos distantes de deus
O amor não existe mais
Filhos matam os pais
A frieza tomou conta do coração
O amor não existe mais
Filhos matam os pais
A frieza tomou conta do coração
Pra onde fugir? pra onde correr?
Quem irá nos socorrer?
Terá salvação para a geração
Onde estamos eu e você?
Não temas, eis que logo venho
Sou jesus, aquele que morreu pra te salvar (2x)
Voltarei pra te buscar, esteja preparado! (4x)
Não temas, eis que logo venho
Sou jesus, aquele que morreu pra te salvar (4x)
Eis que logo vem o meu jesus
Anseio sua volta (volta... volta...)
Jesus

sábado, 2 de julho de 2011

JESUS TEM SEGUIDORES, MAS NÃO TEM TWITTER...

por: Andreé Veríssimo
(escrito em 17 maio 2011, no blog: http://metanoia.spaceblog.com.br/)

Pode paracer engraçado ou para você estranho o título desse artigo, mas mesmo que você, leitor, não perceba há uma grande realidade por trás desse título, e é o que quero compartilhar com você.

O mini-blog Twitter, é a onda do momento, juntamente com o facebook é o top das redes sociais. Nesse mini-blog você pode postar textos, transmissão em vídeo (Twitcam), é possível também ter "seguidores", pessoas que se conectam a você, e recebem diretamente eu seus twitters tudo que você postar, podendo interagir com você e você também tem a oportunidade de ser "seguidor" de alguém. Tudo isso aparentemente é muito legal e moderno, porém, alimenta cada vez mais a onda dos relacionamentos superficiais (sem raízes), meramente virtual.

O que acontece é que os "seguidores" do twitter, geralmente seguem pessoas que eles não tem nenhum contato real, fora do mundinho virtual das redes sociais. Por exemplo, o ator Ashton Kutcher (Marido da Demi Moore), faz sucesso no twitter com mais de 6 milhões de seguidores. A cantora Lady Gaga atingiu a marca de 10 milhões de seguidores. Entende o que estou falando?!

Muitos se dizem "seguidores" de Jesus, mas não tem com Ele um relacionamento real, seguem a Jesus de forma virtual, sem compromisso, sem conhecê-lo de verdade, apenas de "ouvir falar". Seguir a Jesus não significa ser membro de uma Igreja que fala em nome Dele. Muitos querem seguir a Jesus pelos caminhos da religiosidade, e isso é meramente superficial. Seguir a Jesus é o melhor projeto de vida que o ser humano pode ter. Mas muitos não enxergaram isso ainda.

Muitos "seguidores" de Jesus, estão o seguindo da mesma forma que seguem pessoas no twitter: seguem sem conhecê-lo, sem ter um contato real e verdadeiro, sem relacionamento de intimidade, mas meramente por modismo, por tradição religiosa, por terem medo de ir para o inferno, por interesse em prosperidade (adeptos da teologia da prosperidade!), mas quase sempre sem amar, obedecer e buscá-lo de todo coração. Para esses tipos de "seguidores" a religião é como o twitter, uma rede social para um relacionamento virtual e superficial com Jesus.

Mas há um alerta, esteja atento a Mateus 7:21-23

"Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no Reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expulsamos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi explicitamente: Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade".


Conhecer a Jesus intimamente é tudo, obedecer a vontade de Deus é essencial. Você pode ser um "veterano de guerra" em uma Igreja Evangélica ou outra religião que fala em nome de Deus, mas sem obediência e intimidade com Jesus, você nunca será um verdadeiro seguidor do Mestre, apenas mais um na multidão dos que seguem a Jesus por mero interesse por velho hábito da tradição religiosa, seguindo na verdade para o inferno.

Muitos se dizem "seguidores" de Jesus, quando na verdade são seguidores dos "homens da religião", eles lotam Igrejas para verem os pastores dos programas de tv (um modismo desse tempo), lotam shows dos cantores popstars da música gospel, montam até fãs clubes, mas muitos deles não tem vida devocional diária e nem tão pouco em suas casas buscam a Jesus, para uma vida de relacionamento íntimo com o Mestre. Isso é atitude de "seguidores" virtuais. Mas o céu é real e o inferno também.

O verdadeiro seguidor de Jesus tem uma característica peculiar, pessoal, ele vive com autenticidade Lucas 9:23 "Disse Jesus a todos: se alguém que vir após mim, negue-se a si mesmo (renunciar a si mesmo), dia a dia tome sua cruz e SIGA-ME".

Você é um verdadeiro seguidor de Jesus ou está tentando seguí-lo pelo Twitter??

Vale a pena lembrar: Jesus não tem Twitter!!!

Sua presença é real!!!



Andreé Veríssimo :: Alguém que segue a Jesus em obediência e Intimidade!!!

segunda-feira, 27 de junho de 2011

domingo, 19 de junho de 2011

Uma prece

Senhor,
a tua vontade é perfeita.
Quem a conhecerá?
Quem contenderá com ela?
Infinita é sua misericórdia
e seu amor por nós.
Graças te dou, óh Pai,
por tudo.
E principalmente,
por reconhecer que me amas.
Sei que sua fidelidade
vai além, muito além,
do meu entendimento.
Quando olho para meus filhos
e para os filhos dos demais
minha alma se emociona.
Imagino, se é que é possível,
o quanto nossas ações
o ferem.
Outrora nos alertaste
sobre os dias maus.
E hoje eles são fartos de dias.
Mesmo assim...
a desumanidade dos homens
impressiona.
O que pedirei?
Ah, se eu pudesse....
Que me seja dado
O privilégio
de ver o enbranquecer
dos cabelos dos meus filhos.
O prazer
de vê-los aconchegar
meus netos em seus braços.
E, conforme tua vontade,
que eu tenha
A felicidade
de ver dos lados
outros pais tendo a mesma graça.
Amém.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Vasos de Honra


Utensílios disponíveis para o serviço na casa do Senhor.

A bíblia nos compara aos vasos de barro preparados pelo oleiro por meio de um processo transformador que vai além da aparência, afetando o caráter e o modo de vida (Jr.18.6). Tal é o resultado da ação de Deus em nós, que começa até mesmo antes da conversão (At.9.15).
Depois de moldado, o vaso não se destina à ornamentação da casa do Senhor. Para ser útil, ele precisa estar limpo e sempre envolvido com três experiências: receber, encher-se e servir.

RECEBER

A mentalidade das pessoas está tão voltada para o materialismo, que o verbo "receber" tem sido relacionado quase sempre ao dinheiro. Se alguém diz: "Eu recebo no dia 10", ninguém tem dúvida de qual seja o objeto oculto na frase. Contudo, precisamos ver além dos limites financeiros da nossa vida. Ainda que tenhamos todo o dinheiro do mundo, ele não substitui os valores mais importantes da nossa existência.

O vaso na casa de Deus precisa receber, encher-se e servir. Precisa receber porque não pode ser a origem do seu próprio conteúdo. O que temos não vem de nós mesmos (IICor.2.5). Disse o apóstolo Paulo: "Eu recebi do Senhor o que também vos entreguei" (I Co.11.23).
Não podemos inventar doutrinas. Não podemos simular espiritualidade nem tentar imitar a performance ministerial de outros homens de Deus. Seria como fogo estranho sobre o altar (Lv.10.1).
Não sejamos falsos profetas, que nada receberam, mas estão profetizando.
Precisamos receber de Deus e não de qualquer fonte. Cuidado com o conselho dos ímpios (Salmo 1) e com as ofertas tentadoras que nos cercam (Mt.4.1-11).
Precisamos receber o quê? Apenas bênçãos materiais? Só coisas que atendem aos nossos desejos pessoais? Não. Não podemos transformar o evangelho em um conjunto de técnicas a serviço do ego. Deus pode nos dar coisas, e ele nos tem dado, mas não percamos de vista aquilo que é o mais importante.

Todo ser humano precisa (se ainda não o fez):

1- Receber o Senhor Jesus Cristo como Salvador.

"Ele veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome" (João 1.11-12).

Receber Jesus como Salvador é um ato de fé, confirmado por uma manifestação pública. É acreditar, decidir e manifestar essa decisão por meio de uma oração e, se possível, confissão verbal.

"Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação" (Rm.10.9-10).

2- Receber o Espírito Santo e ser por ele batizado.

"E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo" (João 20.22).

Aquele fato não poderia ter acontecido antes da morte e ressurreição do Mestre. Para os cristãos da atualidade, entretanto, não é necessário um intervalo entre a conversão e o recebimento do Espírito. Paulo disse que "se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele" (Rm.8.9). Logo, todo convertido recebeu o Espírito Santo quando aceitou Jesus como salvador. O batismo com o Espírito, porém, é outra experiência, também conhecida como "revestimento de poder" (Lc.24.49).
Os apóstolos receberam o Espírito Santo quando Jesus assoprou sobre eles (João 20.22), mas o batismo só aconteceu no dia de Pentecoste (Atos 2).

3- Receber a Palavra de Deus.

"Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas" (Tg.1.21).

O vaso não pode conter tudo ao mesmo tempo. Se a palavra entra, a imundícia tem que sair, mas isso depende também da vontade de cada um.
Geralmente, começamos a receber a palavra antes de aceitar o Senhor Jesus. Afinal, este é o modo padrão de se obter conhecimento sobre nossas necessidades espirituais. Depois de convertidos, precisamos ainda mais da palavra a cada dia.
O Senhor nos deu a bíblia, mas muitos cristãos não a lêem. Isso nos faz lembrar o que Deus disse a respeito de Israel por meio do profeta Oséias:

"Escrevi-lhes as grandezas da minha lei, mas isso é para eles como coisa estranha" (Os.8.12).

Não podemos desprezar a palavra de Deus, pois ela é o alimento para as nossas almas. Abster-se da alimentação é uma ótima atitude para quem quer adoecer e morrer.
É preciso tomar cuidado com o que aprendemos da filosofia, sociologia, antropologia, psicologia e outras áreas do conhecimento humano. Podemos examinar e utilizar tudo isso, mas a nossa mensagem deve ser bíblica em sua essência e propósito. Tal deve ser também nosso modo de pensar e viver.
Todo aquele que se considera um vaso nas mãos de Deus precisa receber o que Deus quer lhe dar. Isso implica em uma atitude de humildade, reconhecendo nossa necessidade espiritual. Nenhum de nós pode se considerar sabedor de todas as coisas, como se fosse auto-suficiente. Tais atributos pertencem exclusivamente a Deus.

O vaso de honra precisa colocar-se diante de Deus em atitude receptiva, sem tampa, sem bloqueios, assim como um copo é colocado sob a torneira aberta para receber água limpa.
Para que recebamos algo de Deus, precisamos nos colocar aos seus pés, como fez Maria, irmã de Lázaro (Lc.10.39). Isso requer tempo dedicado ao Senhor. Essa atitude deve ser constante para que sejamos renovados em sua presença.

ENCHER-SE

O vaso precisa se encher de todo o precioso conteúdo determinado pelo Senhor. Precisamos que Deus ocupe todos os espaços da nossa vida. Assim, não seremos vazios nem cheios de coisas ruins.

"Não vos embriagueis com vinho, no qual há contenda, mas enchei-vos do Espírito Santo" (Ef.5.18).

"A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração" (Col.3.16).

Um pouquinho de unção ou da Palavra não basta. Ler um versículo bíblico não basta. Deus tem mais. Não podemos ser econômicos na utilização dos recursos espirituais disponíveis.
Essa plenitude é resultado da dedicação já mencionada. Quanto mais nos dedicarmos ao Senhor, em oração, leitura bíblica, adoração e santidade, maior será a manifestação de sua glória em nós. Tal foi a experiência de Moisés. Depois de ter ficado 40 dias na presença de Deus no monte Sinai, seu rosto brilhava, refletindo a glória do Senhor (Ex.34.29).

"Unges a minha cabeça com óleo e o meu cálice transborda" (Salmo 23.5).

Com dedicação ao Senhor, nossa necessidade espiritual será suprida. Nosso vaso será cheio e transbordará. Muitos querem abundância de recursos materiais. Tudo bem, isto é possível e pode ser bênção, mas esta não é a prioridade do Senhor Jesus nem do evangelho.

SERVIR

O vaso não pode apenas receber e guardar. Ele precisa, no tempo certo, fornecer o seu conteúdo para suprir as necessidades alheias. Caso contrário, haverá perda daquilo que lhe foi confiado.
Precisamos transmitir, compartilhar, o que Deus nos deu. Não podemos ser dominados pelo egoísmo dizendo: "Se Deus me deu, é meu!" Não. Fomos chamados para servir. Compartilhe a palavra, a unção e outras bênçãos do Senhor.

O vaso que compartilha, terá sua medida completada novamente. Habilite-se a receber mais. "Dai e ser-vos-á dado" (Lc.6.38).

Sejamos como aquelas talhas das bodas de Caná, que foram cheias de água e colocadas à disposição de Jesus. Pelo poder de Deus, a água foi transformada em vinho, que foi servido para que a festa continuasse.

Quando nos colocamos nas mãos do Mestre, prontos para sermos usados, seremos instrumentos dos seus milagres para que muitas vidas sejam alcançadas para o reino de Deus.

Anísio Renato de Andrade
Bacharel em Teologia

do blog: http://ass5dejulho.blogspot.com/

quarta-feira, 23 de março de 2011

Até Tocar o Céu




A cantora Eyshila nasceu num lar cristão, por isso aquela frase que diz: "talento vem de berço", se aplica perfeitamente em sua vida. Com as influências do pai evangelista e da mãe cantora, Eyshila uniu a Palavra de Deus à música e abraçou o ministério de louvor.

Hoje, figura como uma das mais importantes cantoras gospel, com cinco CD's solos e uma coletânea gravados pela MK e outros com o grupo Voices, onde exercita os vários dons que Deus lhe deu. Além de cantar (no grupo faz soprano e contralto), prepara os arranjos e também ensaia o Voices.

Em seus dez anos de ministério ela lançou, pela MK, seis CDs. O primeiro, de 1997, foi Tira-me do Vale; em 1999, chegou o álbum Mais Doce que o Mel; dois anos depois, a cantora gravou Deus Proverá. Na Casa de Deus, lançado em 2003, rendeu-lhe seu primeiro Disco de Ouro, pelas mais de 100 mil cópias vendidas. Terremoto, seu penúltimo lançamento, foi indicado ao Grammy Latino 2005, na categoria Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa. Em 2006 chegou ao mecado o CD e o DVD Eyshila Collection.

Eyshila começou a cantar bem pequenininha, nos cultos domésticos que seus pais realizavam. Depois ingressou em corais infantis e passou a se apresentar em igrejas. Aos nove anos já estudava piano, mas teve de abandonar. "Não tinha condições de comprar um piano para treinar em casa, então resolvi estudar violão", conta. Na sua inicialização musical, Eyshila teve duas pessoas de grande influência: o irmão Rael e a irmã Berta. Os dois eram regentes do coral formado por mais de 100 crianças, do qual a cantora participou como solista e organista.

A cada passo Deus só fazia confirmar sua vontade para a vida de Eyshila. Tanto que aos 15 anos, ainda adolescente, foi convidada a fazer parte do grupo Altos Louvores, onde ficou por sete anos. "Fiz parte de quase todas as gerações do Altos Louvores, onde tive o privilégio de cantar com Sérgio Lopes, Diógenes Marques, Léa Mendonça, Marquinhos Gomes, Jeferson Monteiro e muito outros. Fico feliz por ter feito parte da história do grupo e por tê-lo como parte da minha vida", conta.

Daí para a carreira solo foi um pulinho... "Eu nuca tive pretensão alguma de gravar. Para ser sincera, sempre fui muito tímida e tremia só de pensar em cantar para muita gente. Essa barreira venci durante os anos que passei nos Altos Louvores. Sei que quando estamos no centro da vontade de Deus as coisas fluem", explica.

A cantora Eyshila - que é soprano e tem uma ótima extensão vocal - segue uma tendência pop/romântica, apesar de ser membro de uma igreja pentecostal (Assembléia de Deus da Penha/RJ). Tanto que a primeira canção sua a se destacar foi "Tira-me do vale", que tem veia romântica e letra reflexiva. Mas o que move essa jovem intérprete não é a variedade de ritmos que ela poderia (e pode) perfeitamente entoar, mas sim a direção de Deus e seu imenso desejo de louvá-lo.


domingo, 13 de março de 2011

Adorai ao Senhor



TODA HONRA SEJA DADA AO SENHOR



POIS SÓ ELE É DIGNO

domingo, 6 de março de 2011

Sem AMOR nada valeria.










João Alexandre Silveira, nasceu em Campinas-SP, no dia 29 de Setembro de 1964. Músico, intérprete, compositor, arranjador, desde muito cedo começou a cantar, mais especificamente aos 9 anos, quando foi descoberto cantando no banheiro de casa por uma de suas irmãs, Yara que, na época em que ele nasceu, além de ser a irmã caçula da família, já tinha 14 anos!

Daí em diante, por João se tornar o caçula e “temporão” de uma família simples de 6 irmãos, 3 homens e 3 mulheres, ela o carregava para festas de aniversário para acompanhá-lo ao violão, enquanto ele cantava e surpreendia a todo mundo com sua voz fina e afinada!

Foi ainda com 9 anos, que participou, sendo chamado carinhosamente de “O pequeno grande”, de um grande evento em Campinas, chamado REMEC (Recital de Músicas Evangélicas de Campinas) onde cantou sozinho, acompanhado sómente por um organista, do extinto Conjunto Universal, que organizara o evento, sendo este, um dos primeiros e grandes momentos musicais de sua vida ainda iniciante na música.

Aos 18 anos, João formaria o Grupo Pescador, seguindo uma proposta mais “abrasileirada” de música cristã, que começara através de compositores cristãos como Sérgio Pimenta e Aristeu Pires, os quais, entre tantos outros, ainda hoje, João faz questão de ter em seus trabalhos, regravando e gravando suas canções. O grupo chegou a gravar um trabalho chamado “Contraste”, com 10 músicas, sendo 8 de João e uma em parceria com Luciano Garruti, seu parceiro de maior afinidade.

Por ser o único com alguma experiência de gravação, João acabou por gravar todo o vocal do disco, o que tornaria impossível uma apresentação ao vivo do grupo posteriormente, já que as vozes, além de trabalhadas, não teríam como timbrar-se de maneira igual à gravação. O grupo acabou por se desmanchar mais adiante, deixando sua marca como um daqueles trabalhos singulares da música cristã brasileira, que lembrava o grupo vocal Boca Livre, principal inspiração de João na composição das suas canções nessa época.

Além de Luciano Garruti, João encontraria outros parceiros de estrada como o próprio Guilherme Kerr, que, como ele mesmo diz, foi seu grande mestre em matéria de letra e poesia e com quem compôs muitas canções que marcaríam a vida da Igreja, no Brasil.

Com 19 anos, sua querida mãe, modelo de vida e de fé, faleceu e João, juntamente com seu pai, foi morar na casa de alguns de seus irmãos mais velhos, época em que lecionava violão.

Com 20 anos, decidiu ser missionário e participou durante 2 anos de um grupo de missionários/músicos chamado MILAD (Ministério de Louvor e Adoração) que teria como objetivo servir a Igreja de Cristo no Brasil e ser sustentado por ela através de ofertas voluntárias, seguindo uma visão “levítica” de sustento financeiro. Com o grupo, João viajou mais de 200 mil km por todo o Brasil , incluindo até o garimpo de Serra Pelada, no Pará, onde fizeram grandes trabalhos evangelísticos para mais de 45 mil homens.

Com 21 anos, ainda vivendo como missionário, João se casou com Tirza.

Percebendo que o caminho da música profissional tinha mais a ver com sua vida do que própriamente o caminho de “missionário” músico, João resolveu assumir diante de Deus o desafio de seguir sua vida na condição de músico profissional, deixando o MILAD na época em que tinha 1 ano de casamento e assim que soube, com muita alegria, da gravidez de sua esposa.


Daí em diante, retornaram para Campinas onde João, por muito tempo, teve que tocar em alguns bares e casas de shows para se sustentar e, além de começar a viajar juntamente com sua esposa, também intérprete, por todos os cantos do país, divulgando sua música e seu trabalho como músico e intérprete, fez sua trajetória crescer como arranjador e produtor musical com a ajuda de músicos e arranjadores experientes, além dos erros naturais que fazem parte do aprendizado de qualquer músico principiante.

Nomes como Williams Costa Jr., Marquito Cavalcante, Lineu Soares, Mara Granado, além de muitos outros que compartilharíam com ele sua experiência e sabedoria, foram de grande valia e incentivo ao caminho musical de João, que desde então já produziu e participou de mais de uma centena de gravações e produções de CDs, tanto evangélicos como seculares.

O antigo parceiro Guilherme Kerr o chamou para participar de algumas cruzadas evangelísticas do Rev. Caio Fábio D’araújo Filho, já que nessa época, Guilherme trabalhava com a VINDE (Visão Nacional de Evangelização). Mais tarde, Guilherme criaria a Gkerr Produções e João então seria chamado por ele para produzir e arranjar alguns CDs.

Um grupo que marcou muito sua trajetória profissional, possibilitando explorar muito de seu potencial musical harmônico, foi o também extinto Quarteto Vida, 4 meninas de Belo horizonte, que cantava com muita identidade, dando ainda mais riqueza aos arranjos que João fazia para elas. Tal contato faria nascer um amor especial por Minas Gerais, que, mais tarde seria transformado em música no seu primeiro disco solo, “Simplesmente João”. Durante esse período, nasceu o primeiro e único filho do casal, Felipe, que hoje, canta juntamente com os pais nas viagens.

Como cristão, João tem sido respeitado e elogiado por músicos do porte de Hélio Delmiro, Rique Pantoja, Oswaldinho do Acordeon, Serginho do grupo Roupa Nova, a cantora Wanda Sá e muitos outros grandes e desconhecidos músicos cristãos e seculares, que além de amigos e irmãos, têm dado uma enorme força ao seu trabalho com suas críticas e experiências.

Visando esclarecer a polêmica gerada sobre o caminho difícil do sustento financeiro e espiritual de músicos e artistas cristãos profissionais, João e Luciano Garruti, seu parceiro de maior afinidade, como já foi dito, decidiram transformar em um livreto, “Músico, Profissão ou Ministério?”, as respostas de muitas perguntas que há vários anos João tem dado às pessoas que o questionam sobre o tema.

Algumas revistas voltadas para a área de produção musical e CDs, como BACKSTAGE, SHOPING MUSIC CD, GOSPEL MUSIC CD e GUITAR PLAYER fizeram observações muito positivas sobre seus trabalhos e interpretações, de maneira geral. Revistas evangélicas têm feito grandes entrevistas com João, o que têm resultado numa projeção ainda maior de seu trabalho com intérprete, de sua personalidade simples e de seu talento dado por Deus.

Seus primeiros trabalhos gravados em CD contaram com a ajuda de gravadoras evangélicas como a Gospel Records em São Paulo, a Luz para o Caminho de Campinas, esta última que inclusive chegou a produzir também um CD de sua esposa intitulado “Muito mais”. A partir do seu 4o trabalho, “Voz e violão”, João decidiu seguir seu caminho por conta própria, “bancando” seus próprios CDs e sempre viajando ao lado de sua família por todo o Brasil, de quem, conforme ele mesmo diz, não abre mão jamais!

Com a ajuda e apoio da missão Vencedores por Cristo que atualmente distribui, divulga e presta serviços na área de propaganda e vendas para João, seus trabalhos têm sido divulgados de maneira mais acentuada nos últimos anos. Um de seus maiores sonhos é poder ter seu próprio estúdio de gravação, o que facilitaria muito o seu trabalho em geral.

De hábitos comuns e muito falante, curte um bom café com leite, além de um churrasco, segundo ele, suas paixões alimentícias, já que por precaução à pressão alta e excesso de peso, vigia constantemente sua alimentaçãv>

sábado, 26 de fevereiro de 2011

DEUS TE ABENÇOE

DÊ DE GRAÇA O QUE DE GRAÇA REBESTE







QUEM O BUSCAR O ACHARÁ







ADOREMOS NOSSO PAI ETERNO







AMÉM!



domingo, 20 de fevereiro de 2011

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

ORAÇÃO Á DEUS

SENHOR, ONDE EU ME ESCONDERIA DE TI?
PRA ONDE EU IRIA?

POIS NÃO HÁ NADA ALÉM DE TI.




PAI, ENSINA-ME A CAMINHAR NA TUA PRESENÇA
ENSINA-ME A TE OUVIR, PAPAI
E LEVA-ME ALÉM DA MINHA VONTADE





CRESÇA EM MIM, MEU DEUS
MAIS E MAIS
E QUE EU DIMINUA, SENHOR



MESMO NA MINHA FRAQUEZA
É A CERTEZA DO SEU AMOR
QUE ME FORTALECE
QUE ME MANTEM EM PÉ


TE AMO, MEU PAI ETERNO

AMÉM!

Texto: Etelvina

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Tempo de Deus

"Mas, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil
anos, e mil anos como um dia;
O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia;
mas é longânimo para convosco, não querendo que alguns se percam, senão
que todos venham a arrepender-se.” (2 Pe 3.8-9)


Nosso tempo cronológicos é diferente do tempo de Deus, que é eterno e não possui nenhuma limitação temporal. Quando Moisés diz que não sabe o nome de Deus, o Senhor responde: “Eu sou o que sou” (Ex 3,14).
Em Deus não há passado e nem futuro: ele é eternamente, sem mudança ou envelhecimento: “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e para sempre” (Hb. 13.8).
No texto acima, Pedro certamente se refere ao texto de Salmo 90.4 e faz um jogo de palavras: um dia de Deus corresponde a mil anos dos homens; mil anos de Deus são iguais a um dia dos homens.
Enquanto ficamos ansiosos e pensamos que Deus demora, ele está sendo paciente. Ele não vive pressionado pelo relógio! Não há como calcular seu tempo – e aqui lembro o texto de Isaias 55.9: “Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os seus pensamentos”.
Enquanto Jesus não volta para a consumação da História, o que podemos fazer em nosso tempo?
Se amamos a Deus, devemos procurar viver de uma forma que o agrade.
No livro do profeta Miquéias, encontramos o que o Senhor deseja que façamos:
Ele mostrou a você, ó homem, o que Le bom e o que o Senhor exige: pratique a justiça, ame a fidelidade e ande humildemente com o seu Deus” (Mq 6.8).
Podemos andar com Deus todos os dias, obedecendo ao Senhor em nosso tempo.
Quando nosso tempo aqui na terra terminar, experimentaremos como é o tempo de Deus – a eternidade.
Se você vai passá-la com Deus ou longe dele (no inferno) depende de sua resposta a Cristo:
Quem crê no Filho tem a vida eterna; já quem rejeita o Filho de Deus não verá a vida, mas a ira de Deus permanece sobre ele” (Jô 3.36).

Como você quer viver neste tempo e na eternidade?

A eternidade não cabe em nosso tempo,
mas você pode caber na eternidade com Deus.




Texto: Pão Diário 14




segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Abraça-me.







David Quinlan ou David M. Quinlan é um conhecido cantor evangélico, líder de louvor de origem irlandesa. Sua família veio refugiada para o Brasil, pois seu pai, um grande líder do movimento católico, se converteu ao protestantismo e sofreu muita perseguição das "autoridades eclesiásticas católicas". Naturalizado brasileiro, é artista da música gospel brasileira.

Seu ministério no Brasil começou mentoreado pelo casal de missionários carismáticos norte-americanos, Dan e Marti Duke, para quem trabalhou como ministro musical e intérprete. Oito anos mais tarde, foi "enviado" por seus líderes para prosseguir em seu trabalho de forma independente, passando, assim, a chefiar o Ministério "Fogo e Glória", depois chamado "Paixão, Fogo e Glória", através do qual realiza conferências de louvor e adoração em diversas cidades.

Violonista e vocalista, gravou versões traduzidas de canções cristãs compostas por autores como Matt Redman (Essência da Adoração), Martin Smith (Canção da Alegria), Paul Baloche (Abra os Olhos do Meu Coração) e de grupos musicais de adoração internacionalmente aclamados como Hillsong e Vineyard Music. Em seus últimos álbuns, entretanto, registrou predominantemente composições próprias, dentre as quais estão Abraça-me, Águas Profundas e Filho de Davi.

David Quinlan reside em Minas Gerais, fazendo parte da IBC (Igreja Batista de Contagem) e no ano de 2007 lançou seu mais novo cd, gravado em Goiânia em novembro de 2005, denominado Apaixonado por Ti, Jesus!, e também lançou um DVD gravado ao vivo em São Paulo.

Texto:http://pt.wikipedia.org/wiki/David_Quinlan

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Cidade de Deus



Elaine de Jesus, nascida em Ponta Grossa, Paraná, em 13 de janeiro de 1977, envolveu-se com o ministério do louvor desde cedo, precisamente aos 7 anos de idade, quando começou a cantar na igreja. A partir de então, Elaine caminhou neste chamado, apesar de só ter gravado o primeiro CD aos 16 anos, já em Boston onde passou a residir desde os 8 anos.

Filha dos pastores Ouriel e Jussara de Jesus da Assembleia de Deus - Igreja do Avivamento Mundial (World Revival Church Assembly of God)-, casou-se em 1995, com o pastor Alexandre Silva, que, além de ministrar a Palavra, é também cantor. Ambos desenvolvem o Ministério do Louvor na Assembléia de Deus em Boston, (MA) e têm atendido a Congressos e Cruzadas no Brasil e em outros países, ministrando a Palavra de Deus com mensagens de avivamento, cura divina e salvação de almas.

Em abril de 2006, assumiram a liderança da World Revival Church em Everett com aproximadamente 300 membros.

A cada dia cresce mais o ministério de Elaine de Jesus como levita, deixando Deus usar sua voz para levar a Palavra dEle aos quatro cantos do mundo com canções dadas por Deus. E agora podemos acompanhar seu ministério como pastora crescendo e amadurecendo em Deus.

Chegou à marca de mais de 1 milhão e 500 mil cópias vendidas de seus CDs tendo ganhado 4 Discos de Ouro, 2 de Platina e 1 Disco de Diamante. Ganhou o Troféu Talento em 2000 na categoria "Artista Revelação" e em 2005 na categoria "Projeto gráfico" pelo álbum Pérola. Em 2006 foi indicada ao Grammy Latino. Em 2009 gravou seu primeiro CD & DVD Ao Vivo, comemorando 15 anos de Ministério e em 2010 entrou para o cast da Sony Music. Foi classificada pelo Gospel Channel como uma das maiores cantoras pentecostais do Brasil.


Fonte: os sites: Elaine de Jesus.com/letras.com

e http://pt.wikipedia.org/wiki/Elaine_de_Jesus

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Lembra Senhor;




Trazendo a Arca
O grupo surgiu em 2002 na cidade de Nova Iguaçu - Baixada Fluminense com jovens que acreditaram em um sonho e juntos dedicaram suas vidas como músicos de tempo integral com um pequeno projeto.

Esse projeto foi tomando grandes proporções, foi quando veio o desejo de gravar o primeiro álbum em 2003 - "Toque no Altar". A partir de então passaram a ser conhecidos em todo território nacional vendendo mais de meio milhão de cópias, dando início a uma carreira com marcas expressivas. Já no mês seguinte, lançaram um novo Cd - "Restituição" voltado apenas para uma campanha, e surpreendentemente alcançou recordes de vendas – mais de um milhão de cópias.

Meteóricamente em 2005, com apenas dois anos de formação foi lançado "Deus de Promessas" uma gravação parte em estúdio, parte ao vivo que também superou a marca de meio milhão de cópias. Em maio de 2006 gravaram "Olha pra mim" onde foi o último trabalho deles nesse período.

No começo do ano de 2007, o grupo passou a se chamar "Trazendo a Arca", um nome que foi rapidamente aceito no Brasil por todos que já os conhecia. Com o amadurecimento sonoro e Espiritual resultou na gravação do primeiro CD nessa nova fase intitulado "Marca da Promessa" que obteve grande aceitação no mercado, tendo êxito em vendas chegando a ultrapassar a marca de meio milhão de cópias vendidas em menos de um ano.

No dia 24 de maio de 2008 o "Maracanãzinho" se transformou em palco para a maior produção de um DVD gospel já realizado no Brasil. Os ingressos foram trocados por um quilo de alimento não perecível e se esgotaram em apenas cinco dias, dando um brilho ainda maior ao evento, pois o público animado lotou o Maracanãzinho e agitou durante todo o evento, gritando desde a entrada até o final. A gravação contou com uma estrutura de palco, som, iluminação e efeitos especiais inéditos em shows do segmento.

Considerado atualmente como um dos grandes ícones da música gospel brasileira, o Trazendo a Arca ficou conhecido mundialmente pelos trabalhos realizados em sua breve trajetória incluindo um "CD gravado ao vivo no Japão". As músicas do grupo são feitas de belas harmonias e com um estilo musical único, já atravessou as fronteiras do Brasil e conquistou corações do mundo inteiro, com melodias originais e letras que permeiam a alma e levam a análises profundas do ser.

Hoje esse grupo conta com uma equipe de pessoas dedicadas trabalhando em tempo integral para responder aos que lhe escrevem. A sua formação desde o início é composta por:

Vocais: Luiz Arcanjo
Teclados e produção: Ronald Fonseca
Bateria: André Mattos
Baixo: Deco Rodrigues
Guitarra e Violão: Isaac Ramos





Fonte: site do grupo (http://www.trazendoaarca.com/2009/



segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Parabéns, presidenta!

“ A primeira década, do vigésimo primeiro século da Era Cristã, e primeiro século do terceiro milênio, foi marcante para a história política do Brasil.”


O primeiro dia de 2011 ficará marcado na nossa história: a posse da primeira mulher na presidência do Brasil.

Dilma Rousseff recebeu a faixa presidencial das mãos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em meio a chefes de estado e de governo, visitantes e chefes de missões internacionais.

Muitas pessoas que estiveram em Brasília enfrentaram a chuva e horas em pé pelo prazer de participar deste momento histórico. Eu assisti pela TV, apesar das críticas de alguns anti-petistas.

Reconheço que faço parte destes que apontam e criticam, e como tal, sempre fui uma completa alienada. Mas uma coisa eu gosto: gente. Por isso, voto na pessoa, sem me importar com o partido a que pertença. Quando em dúvida, quanto a postura pessoal do candidato, prefiro anular o voto. Foi o que fiz nesta última eleição. Se você torceu o nariz agora, dou-lhe razão.

Muito se fala em educação e na necessidade de melhorá-la, mas o que dizer da falta de interesse? Isso mesmo, desinformação por puro preconceito. Democracia é isto: vence a maioria.

Pois bem, fui ler um bocadinho para não fazer feio e para recordar fatos de três pessoas marcantes que, independente de partidos ou das realizações políticas que tenham feito, têm algo em comum: DETERMINAÇÃO.

O primeiro, Fernando Henrique Cardoso o primeiro civil eleito pelo voto direto que conseguiu terminar o mandato de presidente desde Juscelino Kubitschek até, aquele momento, o segundo presidente brasileiro que governou por mais tempo, depois de Getúlio Vargas. Eleito em 1999, FHC conseguiu a aprovação de uma emenda constitucional que criou a reeleição para os cargos eletivos do Executivo, sendo o primeiro presidente brasileiro a ser reeleito.

Foi professor de sociologia da USP. Durante o regime militar, esteve exilado no Chile e França. Em 1968, voltou ao Brasil e assumiu por concurso público a cátedra de Ciência Política da USP, mas foi afastado pelo Decreto-lei 477, o "AI-5 das universidades". A partir de 1983, FHC participa das articulações visando a transição do regime militar para a democracia e torna-se um dos grandes articuladores do "Diretas Já".

O segundo mandato do presidente FHC findou-se no dia 1º de janeiro de 2003, com a posse do metalurgico Luiz Inácio Lula da Silva.

Com carreira política feita no estado de São Paulo, Lula é o único presidente do Brasil nascido em Pernambuco. Eleito em sua quarta tentativa para chegar ao cargo presidencial, após ser derrotado nos anos de 1989, 1994 e 1998. Em outubro de 2006, o ex-sindicalista Lula se reelegeu para a presidência, derrotando o candidato do PSDB Geraldo Alckmin, sendo eleito no segundo turno com mais de 60% dos votos válidos contra 39,17% de seu adversário.

Em 1980, durante uma greve no ABC paulista, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo sofreu intervenção e Lula foi detido por trinta e um dias nas instalações do DOPS paulista. No ano seguinte, foi condenado pela Justiça Militar a três anos e meio de detenção por incitação à desordem coletiva, tendo porém recorrido e sido absolvido em 1982.

Em 31 de outubro de 2010 a candidata governista à presidência, Dilma Rousseff, foi eleita à presidência sem nunca antes ter disputado uma eleição, fato que foi explicado por grande parte dos analistas pela transferência de votos de Lula, que teve segundo o Datafolha seu governo aprovado por 97% dos brasileiros à época da eleição. Assim, Lula tornou-se o primeiro presidente desde Getúlio Vargas a fazer o seu sucessor nas urnas e fez com que o PT se tornasse o primeiro partido desde a democratização a ficar no governo federal por três mandatos consecutivos.

Nascida em família de classe média alta, Dilma Rousseff interessou-se pelos ideais socialistas durante a juventude, logo após o Golpe Militar de 1964. Iniciando na militância, integrou organizações que defendiam a luta armada contra o regime militar, como o Comando de Libertação Nacional (COLINA). Passou quase três anos presa entre 1970 e 1972, primeiramente na Operação Bandeirante (Oban), onde teria passado por sessões de tortura, e, posteriormente, no Departamento de Ordem Política e Social (DOPS).

No meio militar, há quem veja o relato de Dilma com ironia e descrédito, especialmente quanto à possibilidade de alguém sobreviver a vinte e dois dias de tortura. Posteriormente, Dilma denunciou as torturas em processos judiciais, inclusive dando nome de militares que participaram dos atos.

Punida por subversão, de acordo com o Decreto-lei 477 (considerado o "AI-5" das universidades), ela havia sido expulsa da Universidade Federal de Minas Gerais e impedida de retomar seus estudos naquela universidade em 1973, o que levou Dilma a prestar vestibular para economia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Graduou-se em 1977, não tendo participado ativamente do movimento estudantil.

Claro que aqui apenas pincelei alguns trechos das biografias dos três. Mas o que me importa são as pessoas. Quem dera tivéssemos essa força e determinação para alcançarmos nossos objetivos. Que não desistíssemos diante das lutas.

Erros e falhas todos cometem. Acusadores todo mundo tem. Mas, nossa esperança/certeza é que para todos há um único advogado e salvador: JESUS.

Por isso, parabéns presidenta!

Estarei orando por seu governo e para que Deus venha lhe conceder a graça de ser chamada de filha.